Jesus Helguera- O homem que pintou a beleza mexicana no século 20

18:01

Em um cenário de arte voltado para a retração da beleza feminina entre os anos 30 e 60, o grande nome exaltado pela crítica especializada  da época e até os dias de hoje foi sem dúvidas o norte-americano Gil Elvgren, no entanto, outros pintores mundo a fora também dedicaram-se ao trabalho de retratar as belezas femininas de seus países e, entre eles está o mexicano Jesús Helguera.Conheça a vida e obra desse artista que criou as suas próprias pin-ups com um toque latino-americano.

Pinturas retratando a beleza feminina mexicana.

 
 Quem foi?
 
 Jesús Enrique Emilio de la Helguera Espinoza nasceu em 28 de maio de 1910 em Chihuahua, México.Devido à Revolução Mexicana (1910-1920), o garoto e seus pais, o economista Alvaro García Helguera e Maria Espinoza foram se refugiar na Espanha, passando primeiramente por Ciudad Real e posteriormente se estabelecendo em Madrid.Durante sua pré-adolescência frequentou colégios renomados voltados para arte, tais como a Real Academia de Belas Artes de San Fernando e a Escola Superior de Belas Artes.
 
 
Jesús Helguera.

 
 Na fase jovem trabalhou como professor de um instituto de arte em Bilbao e também ilustrou livros, revistas e quadrinhos.Com o advento da Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e a crise econômica na Espanha regressou ao México e deu início a diversos trabalhos, tais como pintura de murais, ilustrações para calendários, embalagens de produtos e entre outros.
 
 A arte de Jesús
 
 Embora tenha passado tempo considerável na Espanha, o México e suas tradições exerciam sobre Helguera um forte atrativo e inspiração.Suas pinturas são influenciadas pela visão romântica da natureza mexicana e a grandeza da mesma.Um outro ponto muito relevante em seu trabalho é a presença de elementos astecas nas composições e a bravura do povo mexicano, que no período de 1910-1920 vivenciou o caos da Revolução Mexicana, e tal sentimento de incertezas e perseguições inspiraram em Helguera a vontade de pintar um México grande, belo e corajoso durante as décadas de 1930 e 1940.
 
 
Três pinturas que retratam o trabalho de Helguera, a primeira com elementos de povos pré-colombianos, a segunda voltada para retratação da mulher e a terceira com a grandeza do povo mexicano.

 
 A mulher em Helguera

Helguera soube retratar como ninguém o arquétipo da mulher mexicana: morena, cabelos longos e escuros, olhar penetrante e ornada com flores e cores.Tal estética de beleza mexicana puderam ser observadas também nos filmes Flor Silvestre (1942) e María Candelaría (1944), ambos protagonizados por Dolores Del Río e com direção de Emilio Fernández, que assim como Jesús Helguera se apoiava na concepção de uma nova imagem do mexicano, onde o indígena, os mestiços e os camponeses eram símbolos da pureza e da dignidade.

Na primeira imagem Dolores del Río em cena do filme María Candelaría 


 Inspirações reais: Dolores del Río e Maria Félix

 Dolores del Río e Maria Félix foram as grandes atrizes e estrelas mexicanas da primeira metade do século 20.Dolores era de família abastada e depois de uma rápida carreira em Hollywood voltou ao México alegando que diretores americanos não lhe davam espaço para desenvolver trabalhos maiores, muito provavelmente por ela não ser americana.Participou de cinco filmes de Emilio Fernández, com destaque maior para María Candelária, filme ganhador do Grand Prix e também primeiro filme latino a ser exibido no festival de Cannes em 1946.

As atrizes María Félix e Dolores Del Río.


Já Maria Félix se imortalizou no papel de Bárbara no filme Doña Bárbara (1943) e ganhou diversos prêmios por suas atuações, sendo os seus últimos trabalhos na França, mas a atriz além de ter feito filmes no México e França também trabalhou na Itália, Argentina e Espanha.Tanto Dolores como María Félix foram grandes nomes da beleza mexicana nas décadas de 30 e 40.Fora das telas eram glamourosas e sofisticadas, dentro das telonas interpretavam papéis que sintetizavam a beleza retratada por Jesús Helguera e pautadas na moda da mulher do campo e interior mexicano.

Pinturas de Jesús Helguera.


Colares de contas coloridas, flores tropicais, tranças com fitas, vestidos e saias de tecidos leves fazem parte das mulheres pintadas por Jesús Helguera, uma obra que enaltece a beleza latina e serve de inspiração para a beleza vintage do nosso continente.

Antiguinhas

3 comentários

  1. OI MENINE, OLIA QUEM VOLTOU!

    o que eu sempre digo e repito sobre seu blog, é uma verdade: você não traz apenas entretenimento. Você também enriquece a gente com esse conhecimento maravilhoso sobre épocas tão legais!
    achei as pinturas belíssimas e talvez o homem contemporaneo podia se inspirar nesse modelo tão saudável de beleza, né?

    beijo
    www.beinghellz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gente não conhecia esse pintor, eu amo estudar alguns artistas vintage e nunca tinha visto ele. Achei lindas as pinturas.

    bjus

    Ari ♥
    De volta ao retrô

    ResponderExcluir
  3. nunca tinha ouvido falar no artista, mas essa obras dele sao realmente maravilhosas! amei conferir a beleza mexicana da época

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir